noticias

O 1º dia de Encontro Mestes do Mundo virá repleto de ações e a noite será movimentada com várias apresentações artísticas. A partir das 18h, a Praça da Rodoviária será palco para o cortejo de abertura, com solenidade oficial e espaço especial destacando nosso Artesanato e Gastronomia.

Às 20h daremos início as apresentações artísticas com atrações regionais e um grupo internacional. Representando nossa cultura local teremos os Bacamarteiros da Paz, de Juazeiro do Norte (CE),  o Reisado dos Irmãos/Mestre Pedro, Juazeiro do Norte (CE), o Boi Mirim Pai do Campo e Mestre Chico, de Limoeiro do Norte (CE) e a banda Cabaçal Padre Cicero, também de Juazeiro do Norte (CE). 

Para o show de encerramento teremos o Candombe, Comparsa Cenceribó, que sobe ao palco às 22h40, encerrando nossa primeira noite de atividades. 

O Grupo Cenceribó nasceu em 2005, em um concurso organizado pela Prefeitura de Montevidéu (IM) chamada “Movida Jovem”. De lá pra cá o grupo vem revolucionando o toque de Candombe, fornecendo uma nova essência em cada apresentação e nos desfiles de chamadas, onde dá o seu melhor, sentindo o tambor como herança de sangue, deixada pelos ancestrais. O Candombe, ritmo africano,  emergiu na era colonial como o principal meio de comunicação de africanos escravizados que desembarcavam no porto de Montevidéu, como forma de comunicação, dança e religião.

O mesmo é original da atual Angola, de onde foi levado para a América do Sul durante os séculos XVII e XVIII por pessoas que haviam sido vendidas como escravas nos reinos de Kongo, Anziqua, Nyongo, Luango e outros, a comerciantes de escravos principalmente portugueses. Os mesmos portadores culturais do candombe colonizaram o Brasil (especialmente na área de Salvador da Bahia), Cuba e o Rio da Prata.