Tempo de amor e flor para quem sabe salvaguardar afetos

Com o tema “Encontro Mestres do Mundo, tempo de amor e flor para quem sabe salvaguardar afetos” procuramos evidenciar as formas de vidas embutidas nas diversas expressões culturais que se projetam a partir dos Tesouros Vivos da Cultura e que vai muito além do saber/fazer que se deseja salvaguardar e reconhecer.

Buscamos promover não apenas a valorização de Mestras e Mestres e seus fazeres, mas sim, possibilitar por meio do contato com estas/estes a singeleza de um mundo necessário hoje, de uma vida amorosa e afetuosa que nos abrace junto à mãe natureza, promotora de toda a vida e possibilitadora da permanência da vida humana. Além de ser uma oportunidade ímpar de vivenciar a diversidade cultural tradicional, esse encontro permite o compartilhar e o sentir de vidas humanas que se doam por meio desse contato com os guardiões das memórias ancestrais do nosso e de muitos povos irmãos.

O XII Encontro Mestres do Mundo é um evento estruturante realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – SECULT desde 2005, cuja atual edição acontece de 21 a 24 de Novembro de 2018 em Aquiraz (CE), com produção do Instituto Assum Preto de Arte, Cultura, Cidadania e Meio Ambiente, instituição parceira selecionada por meio de edital, com parceria da Prefeitura Municipal de Aquiraz e apoio cultural do Fórum de Cultura Popular Tradicional, Comissão Cearense de Folclore, Tapera das Artes e Museu Sacro São José do Ribamar.

Muito além do saber, do rito e da brincadeira está/estão formas de vidas compartilhadas, vidas que se reinventam, que resistem com o que tem. Produzem a partir do que a natureza lhes possibilita ou refazem o que precisam com o que está a mão. Numa rede de cooperação mútua e solidária vão tecendo sonhos e construindo realidades mais amorosas e colaborativas. A forma como entendem o mundo, sua cosmovisão está comumente interligada à natureza, a terra mãe que lhe dá abrigo. Independente de estar em territórios do campo, no urbano ou em zonas periféricas seu entendimento é que tudo é aproveitável, pois para estes é considerado pecado o desperdício de objetos, artefatos, comida e vida. Assim vão criando, produzindo saberes, fazeres traçando tramas de receber e dar para aproveitar o que o cosmos lhe doa de graça.

Nossa proposta prioriza sim os Tesouros Vivos, suas expressões culturais, mas principalmente deseja fortalecer a compreensão destes como mulheres/homens sementes de memórias vivas, de lógicas melhores que priorizam amores e afetos que necessitam ser alimentados, plantados no coração humano e principalmente de nossas crianças que poderão dar prosseguimento. Nosso símbolo será a flor semente/semente flor, especialmente a flor do jenipapo fazendo uma ligação com o povo Jenipapo-kanindé, cuja aldeia está em Aquiraz, território do evento.
Venha viver tudo isso conosco!

Lourdes Macena
Profa. Dra IFCE
Curadora